ELABORAÇÃO DE UM PROTOCOLO PARA O DIAGNÓSTICO DA DEPRESSÃO

Resumen

O presente trabalho teve como objetivo elaborar um protocolo piloto para facilitar o diagnóstico da depressão fundamentado na CID-10. O percurso metodológico seguiu os passos da pesquisa participante e revisão de literatura. Como resultado, é apresentado o Protocolo de Diagnóstico da Depressão em Adulto e as atribuições positivas e negativas ao potencial de uso deste instrumento por uma equipe de saúde mental. Concluiu-se que foi possível construir um protocolo de diagnóstico por meio de pesquisa participante, o qual se mostrou viável e operativo na avaliação dos membros da equipe de saúde mental participantes da pesquisa, podendo ser utilizado em futuros estudos nos serviços de saúde mental.

Citas

Jorge MSB, Diniz AM, Lima LL, Penha JC. Matrix support individual therapeutic project and production in mental health care. Texto contexto - enferm. 2015; 24(1): 112-120.
Lei n. 12.842, de 10 de julho de 2013. Dispõe sobre o exercício da Medicina. Disponível: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12842.htm>
Mensagem nº 287, de 10 de julho de 2013, referente a Lei n. 12.842/2013. Disponível:
Bryant-Lukosius D, Valaitis R, Martin-Misener R, Donald F, Morán Peña L, Brousseau L. Advanced Practice Nursing: A Strategy for Achieving Universal Health Coverage and Universal Access to Health. Rev. Latino-Am - Enfermagem. 2017;25: e2826.
CAMPOS, FAAC. A Elaboração do Protocolo de Diagnóstico da Depressão em Adultos (PDDA): Uma experiência no CAPS II. 2015. 93 f. Dissertação (Mestrado) – Departamento de Psicologia, Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho, RO, 2015.
Ferreira MBG, Silveira CF, Silva SR, SDJ, Ruiz MT. Nursing care for women with pre-eclampsia and/or eclampsia: integrative review. Rev. esc. enferm. USP. 2016; 50(2): 324-334.
Hisatugo CLC, YL. An exploratory study in patients with depression by the Rorschach Comprehensive System. Aval. psicol. 2014; 13(2):157-166.
Molina MRAL, Wiener CD, Branco JC, Jansen K, Souza LDM, Tomasí E, et al. Prevalência de depressão em usuários de unidades de atenção primária. Rev. psiquiatr. Clín. 2012; 39(6):194-197.
OMS. Organização Mundial da Saúde. Classificação dos transtornos mentais e de comportamento da CID-10: descrições clínicas e diretrizes diagnósticas. Porto Alegre (RS): Artes Médicas, 1998.
Moraes RCP de et al. Pesquisa participante na estratégia saúde da família em territórios vulneráveis: a formação coletiva no diálogo pesquisador e colaborador. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro. 2017; 15(1):205-222.
Attacker M, Heyduck K, Meffert C. Illness beliefs and treatment beliefs as predictors of short and middle term outcome in depression. Journal of Health Psychology. 2013; 18(139):139-152.
Bharadwaj, V. et al. Clinical profile and outcome of bipolar disorder patients receiving electroconvulsive therapy: A study from north India. Indian J. Psychiatry. 2012; 54(1): 41–47.
Kleine-budde, K. et al. The cost of depression – A cost analysis from a large database. J. Affect Disord. 2013; 147(1):137-143.
Kalinin VV, Polyanskiy DA. Focus laterality and interictal psychiatric disorder in temporal lobe epilepsy. Seizure. 2009; 18(3):1-4.
Undurraga J et al. Bipolar depression: Clinical correlates of receiving antidepressants. J Affect Disord. 2012; 139(1):89-93.
Menezes F L et al. Frequência da depressão puerperal na maternidade de um hospital universitário da Região Sul. Enferm. Glob. 2012; 11(27): 408-418.
Lewis CM et al. Genome-Wide Association Study of Major Recurrent Depression in the U.K. Population. Am. J. Psychiatry. 2010; 167(8):1-8.
Čulav-sumić, J, Jukić V. Minor physical anomalies in women with recurrent unipolar depression. Psychiatry Res. 2010; 30(1):1-10.
Weck F et al. The Relationship Between Therapist Competence and Homework Compliance in Maintenance Cognitive Therapy for Recurrent Depression: Secondary Analysis of a Randomized Trial. Behavior Therapy. 2013; 44(1):162-172.
Almeida OP et al. Complaints of difficulty to fall asleep increase the risk of depression in later life: The health in men study. J. Affect Disord. 2011; 134(1-3):208-216.
AKISKAL HS. Dysthymia and cyclothymia in psychiatric practice a century after Kraepelin. J. Affect Disord. 2001; 62(1-2):17-31.
Sang W et. al. A comparison of the clinical characteristics of Chinese patients with recurrent major depressive disorder with and without dysthymia. J. Affect Disord. 2011; 135(1-3):106-10.
Fiest KM et al. Systematic review and assessment of validated case definitions for depression in administrative data. BMC Psychiatry. 2014; 14(289):1-8.
Prukkanone B et al. Adherence to antidepressant therapy for major depressive patients in a psychiatric hospital in Thailand. BMC Psychiatry. 2010; 10(64): 1-5.
Werneck MAF, Faria HP, Campos KFC. Protocolos de cuidado à saúde e de organização do serviço. Universidade Federal de Minas Gerais. NESCON (Núcleo de Educação em Saúde Coletiva – Faculdade de Medicina – UFMG). Belo Horizonte: CoopMed. 2009. Disponível em: . Acesso em: 17 out. 2013.
Rodrigues EM, Nascimento RG, Araújo, A. Protocolo na assistência pré-natal: ações, facilidades e dificuldades dos enfermeiros da Estratégia de Saúde da Família. Rev. esc. enferm. 2011; 45(5);1-8.
Pinto DM et al. Projeto terapêutico singular na produção do cuidado integral: uma construção coletiva. Texto contexto – enferm. 2011; 20(3):1-8.
BRASIL. Lei n. 8.080, de 25 de julho de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 12 set. 2013.
Almeida RA et al. Avaliação da utilização de protocolos na prevenção de úlceras por pressão. Revista Ciência & Saúde. 2012; 5(2):1-7.
Publicado
2017-10-27
Cómo citar
ARDISSON CIRINO CAMPOS, Fagner Alfredo; BIASOTTO FEITOSA, Fabio. ELABORAÇÃO DE UM PROTOCOLO PARA O DIAGNÓSTICO DA DEPRESSÃO. Enfermería: Cuidados Humanizados, [S.l.], v. 6, n. 2, oct. 2017. ISSN 2393-6606. Disponible en: <http://revistas.ucu.edu.uy/index.php/enfermeriacuidadoshumanizados/article/view/1462>. Fecha de acceso: 11 dec. 2017 doi: https://doi.org/10.22235/ech.v6i2.1462.
Sección
Artículos Originales